terça-feira, 8 de setembro de 2015

Precisamos de menos Fé e de mais Consciência


Quando estamos em uma encruzilhada muitas vezes apelamos para a Fé. Como se uma força metafísica pudesse nos aliviar dos fardos que carregamos.

Talvez valeria muito mais entendermos os "porquês" das coisas. Qual o motivo que nos enfia sempre nas mesmas enrascadas? Por que repetimos sempre os mesmos padrões?

O que precisamos é de consciência, isto é, entender profundamente os motivos para as coisas acontecerem sempre da mesma forma. Saber a essência dos fatos para poder discernir sobre aquilo que realmente vale a pena.

Trabalhar o dia todo e assistir TV quando chegamos esgotados com a possibilidade de irmos pra praia aos finais de semana e fazer um churrasco com amigos, regado a uma partidinha de futebol é tudo que está reservado para nós?

Ou podemos questionar nosso ritmo alucinado, buscando significado naquilo que vivemos também seria possível? Isto é termos consciência de nossas vidas.

Mas dá trabalho... Exige estudo, desapego, saber dizer não e perder amigos pelo fato de abandonarmos hábitos alienantes e sem um propósito maior.

Mas dá satisfação... Pois encontraremos um outro grupo de descontentes. Pessoas que sabem da existência de vida inteligente no planeta.

É triste ver que a vida fervilha nas universidades, mas do lado de fora. Nos inúmeros botecos cheios de meninos e meninas de 18 anos. E os grupos de estudo e questionamento da vida robotizada fica apenas para um par de loucos, mas formidáveis humanos.

O duro é esperar as manjadas festinhas de réveillon que somente nos fazem pular algumas ondas para chegar ao mesmo lugar. Ou seja, lugar nenhum.

Mas seremos discriminados se questionarmos tudo isso que está ai? SIIIIIMMMM. Bem vindo ao grupo que já teve Giordano Bruno, Galileu Galilei, nossos artistas modernistas, Paulo Freire, Pierre Weil, Leonardo Boff... Não estamos bem acompanhados?



Um comentário:

  1. Exato! Sair da zona de conforto nos faz crescer e nos tornar melhores

    ResponderExcluir